Livros

Ser Emigrante | Como Começou

Vou começar uma nova rubrica aqui no blog e mais tarde haverá vídeos. Vou contar-vos um pouco da minha experiência de ser emigrante em França. Várias pessoas perguntam-me como é viver em França e até já me pediram conselhos e dicas para emigrar. Cheguei a escrever no blog 5 coisas que ninguém fala sobre emigrar. E agora resolvi fazer uma nova rubrica dedicada a este tema.

Como é que isto tudo começou e porquê de tomar esta decisão?! Para entenderem um pouco do meu percurso, tenho que vos contar como tudo começou. Eu vim em 2013, numa altura em que estavam novamente a emigrar muitos portugueses. Tinha terminado o meu curso de Turismo e estava no desemprego, mas até conseguia arranjar trabalho. A minha principal razão não foi por razões monetárias. Claro que queria arranjar um trabalho, ganhar mais dinheiro e conseguir dar uma melhor qualidade de vida à minha filha. Mas não estou aqui para enganar ninguém…eu vim por amor! É verdade! Eu vim porque conheci o meu marido que já era emigrante em França à 5 anos. E agora vocês dizem: “então foi fácil de ires para aí?”, porque já estava cá alguém. É verdade que assim é um pouco mais fácil ou até parece que é fácil! Mas como o meu marido me dizia muitas vezes “quem quer bolota, trepa”. Tudo o que consegui aqui foi sozinha ou com muita pouca ajuda.

Ganhamos e também perdemos muita coisa vivendo fora do país. Com o tempo vem muitos dilemas de ser emigrar. Muitas pessoas dizem que emigrar é só para os fortes, mas de cada vez que vou para Portugal, venho com a ideia de que, talvez, viver em Portugal seja para os fortes! E para começar com esta nova rubrica vou vos dizer alguns assuntos que podem esperar ver por aqui:

  • dos primeiros passos que dei antes de vir para França. Quero dar informações úteis para quem pretende viver em França. Sabiam que podem vir 3 a 6 meses a receber o vosso subsídio de desemprego (claro, se tiverem direito a ele).
  • Como comecei a minha procura de trabalho e como funciona mais ou menos as coisas por cá. Mas só posso falar da minha experiência na área do comércio.
  • Como aprendi o francês, pois um só sabia dizer Salut e Bonjour. Aqui em França existe imensas organizações que apoiam o emigrante a aprender a língua.
  • E claro a minha experiência ao longo destes anos, como é viver cá, ter filhos a estudar cá, as diferenças em viver aqui ou em Portugal.
  • O custo de vida na França, que não é tão caro como pensam. Pois aqui existe Paris e depois a França. Muitas pessoas dizem que viver em França é caro, porque se vieram cá, só vieram à Capital. Viver em Lisboa também é caro!
  • As minhas principais dificuldades de ser emigrante, para além de no início termos a barreira da língua ser diferente, outras coisas são bem diferentes, é uma cultura diferente.
  • E claro assuntos que vão surgir e perguntas que vocês me queiram fazer.

Resumindo assim muito rápido o meu percurso em França. Cheguei em 2013, mas ainda fui algumas vezes a Portugal, definitivamente fiquei em França a partir de Fevereiro de 2014, comecei uma formação em Setembro de 2014 para aprender a falar francês, durante 4 meses, estive desempregada e à procura de trabalho durante um mês, arranjei trabalho como vendedora de sapatos e Fevereiro de 2015. Melhorei o meu francês e passei a sub-responsável de loja. A minha filha veio para cá a Setembro de 2015 e começou assim o seu percurso numa escola francesa. E eu engravidei pela segunda vez o ano passado e nasceu a minha segunda filha em território francês. Agora em 2019 vou ficar em casa com a minha bebé, porque aqui é possível ficar 2 anos de licença. E com tudo isto, espero dar algumas dicas e concelhos a quem quer vir um dia.

Viver noutro país é de certo modo reaprender a viver. Temos de aprender outra língua, outra cultura. Ao início coisas tão simples, como por exemplo ir ao supermercado, podem parecer tão complicadas e sem solução à primeira vista. Para resolver algum problema nem sempre sabemos onde precisamos ir? Com quem precisamos falar? Como é que se diz determinada palavra em francês? Porque o google tradutor nem sempre é nosso amigo. Para além disto tudo, temos de gerir a saudade.

Confesso que ser emigrante não foi e não é muito difícil para mim. Tenho saudades do meu país, mas gosto de viver em França, gosto da vila onde vivo, gosto da cultura deles, principalmente gosto da qualidade de vida que consegui aqui. Uma qualidade de vida que não conseguiria ter em Portugal, mas lá teria outros confortos que não tenho aqui. Dilemas de ser emigrante! Por isso acho que vai ser interessante partilhar algumas coisas com vocês. Se tiverem alguma pergunta a fazer sobre o tema, perguntem!!

Previous Post Next Post

Também podes gostar de:

Leave a comment

Deixa um comentário

%d bloggers like this: