Minimalismo

Minimalismo | Como começou…

O Minimalismo é algo que virou “moda” nos últimos tempos, mas verdade é que o meu desejo por uma vida mais simples, mais minimalista já vem comigo há 5 anos, desde que comecei a preparar a minha vinda para França. Ultimamente tenho vindo a pensar nos motivos que me levaram a seguir este caminho pelo minimalismo. E decidi escrever este post.

Eu tive conhecimento sobre este estilo de vida minimalista por acaso. Há cinco anos andava a passear pela blogosfera e encontrei o blog da Rita, The Busy woman and the Stripy Cat, e adorei tudo o que li. Foi o que me levou a procurar mais pelo assunto e aprofundar os meus conhecimentos. E assim decidi que iria começar reduzir alguns excessos e levar uma vida mais minimalista.

Já está mais que sabido que o Minimalismo como estilo de vida significa basicamente: viver mais com menos, viver com o essencial. Quem segue um estilo de vida minimalista sabe que no início começamos sempre por retirar o excesso de tralha física que temos em casa. Para mim até foi uma tarefa fácil, porque eu não sou uma pessoa que se apega muita às coisas materiais. E o mais importante é que com o tempo apercebi-me que o minimalismo é muito mais do que um estilo de vida. É uma ferramenta que pode-me ajudar, ao me livrar dos excessos, a concentrar-me no que realmente importa para ser uma pessoa mais feliz e, principalmente, livre de coisas tóxicas. É isto que me fez gostar deste estilo de vida!

Eu nunca vivi uma vida consumista, pelo contrário eu nunca tive muitas coisas. Mas o problema é que isso não era por escolha minha, mas sim por ter algumas dificuldades financeiras. Mesmo tendo a consciência de que a felicidade é raramente encontrada em bens materiais, nesta era de consumismo desenfreado não é fácil ser-se feliz com pouco. Então tinha alguns momentos de frustração, decepção e infelicidade, porque não podia ter o que as pessoas “normais” tinham.

Posso dizer que ao conhecer o Minimalismo fez-me pensar que é possível ter esta felicidade, aprendendo a deixar de pensar no que não tenho e deixar de sobrecarregar a minha cabeça de coisas e de sentimentos que me angustiam. E sim simplificar a vida e dar mais atenção às coisas que o dinheiro não pode comprar: todos os momentos passados com as minhas filhas, o meu companheiro e com a família e amigos. Hoje em dia tento sempre lembrar-me que mais importante do que ter é ser.

A descoberta do minimalismo também me levou a fazer outras alterações na minha vida, que andei a adiar a algum tempo. A principal alteração foi eliminar um hábito terrível: deixar de fumar. Pois é?! Faz 4 anos que deixei de fumar (expliquei aqui como). Passei a dar mais importância à minha pessoa, a procurar ser mais organizada, mais saudável e mais responsável pela minha pegada ecológica (isto tudo com grande influência do blog da Rita). Entretanto conheci outras pessoas igualmente inspiradoras: a Fátima, a Mafalda, a Ana e a Mariana. Ao longo do tempo fui-me inspirando em diversas pessoas e passei a viver mais o presente e a deixar o passado lá atrás. Algo que levou o seu tempo por ter um passado marcado por experiências menos boas e que me perseguiam, estando sempre a culpabilizar-me. Foi um processo de transformação e, mesmo tendo ainda muito que percorrer, deixei de pensar que era uma coitadinha. Eu sou o que quero e faço para ser neste momento! Resumindo, descompliquei a vida e passei a ser mais Feliz.

Claro que nada muda do dia para a noite, mas o importante é que a partir do momento que vi a necessidade de uma vida mais minimalista, decidi percorrer esse caminho. E mesmo com pequenos passos e adequando-me a ela na medida das minhas possibilidades, tenho a certeza que a minha vida vai melhorar cada vez mais.

Partilha Como Começou o meu Minimalismo no Pinterest

Minimalismo-SohappywithLess-Pinterest (6).png

Previous Post Next Post

Também podes gostar de:

Leave a comment

Deixa um comentário

%d bloggers like this: