Ser emigrante

Ser emigrante e fazer falta onde deveríamos estar

ser-emigrante-e-fazer-falta-onde-deveriamos-estar

Depois de ter escrito se ser emigrante era desistir de Portugal, muitos foram os emigrantes que concordaram comigo, outros que não. Normal!! Como tudo nesta vida, não temos que concordar com todos. Também vi que são muitos que não tencionam sair alguma vez do país. Neste momento, penso que para tudo é preciso ter coragem…é preciso ter coragem para ficar em Portugal, como também é preciso ter coragem para agarrar nas malas e emigrar. E a pior sensação de um emigrante é sentir que faz falta onde deveria de estar.

Não desisti de Portugal e um dia vou regressar

Em momento algum disse que não gostava do meu país onde nasci e cresci. Dou muito valor a Portugal, mas neste momento ele não consegue responder às minhas necessidades. Não desisti de Portugal e um dia vou regressar…mas não num futuro próximo. No entanto, um dos maiores dilemas de se ser emigrante é sentir que fazemos falta ao pé dos nossos. Sabem quando alguém precisa daquele abraço e não podemos dar?! A única coisa que me faz não gostar de ser emigrante é a distância que me afasta dos meus. Esta distância que quando alguma coisa corre mal só nos dá sensação de que é maior ainda. Esta distância que nos faz duvidar do que andamos a fazer e se isto tudo vale a pena. Só quem é emigrante e está longe dos que ama consegue compreender.

Nada tem a ver com amar ou não o nosso país

Tem tudo a ver com amar os nossos. Dar aquele abraço quando a tua irmã precisa de ti, dar aquele conselho a um amigo e, também, receber aquele carinho da tua mãe. Ver os teus avós e os teus pais a envelhecer e precisarem de ti e tu não estás!! Estar presente para ver as minhas sobrinhas crescer e pegar-lhes no colo. Querer celebrar alguma vitória e ter que o fazer através de um pequeno ecrã…e sortudos somos nós hoje em dia, com esta evolução das tecnologias. Não poder celebrar os aniversários dos que amamos e faltar nos momentos mais importantes. Seja nos momentos bons e nos momentos maus, a sensação de fazer falta onde deveríamos estar é terrível.

Podes gostar também de ler 5 Coisas que Ninguém Fala sobre Emigrar

E agora depois de começar a vir os filhos, surgem outras questões. Quando chegar a altura de regressar a Portugal, porque qualquer emigrante pensa voltar a Portugal. O que vai ser dos nossos filhos?! Vamos ver a outra face da moeda e sentir o vazio dos nossos filhos não estarem ao nosso lado, porque ficaram na terra onde nasceram. São aqueles dilemas de se ser emigrante. Vamos estar sempre a fazer falta onde deveríamos estar. Nunca ninguém nos disse que seria fácil e a vida mostra-nos que ainda temos muito que passar com a nossa escolha de ser emigrante.

Não sou infeliz a viver fora de Portugal, no entanto surgem sempre momentos em que coloco a questão se vale mesmo a pena estar longe. Voltar para Portugal continua a não fazer sentido, mas no dia em que começar a fazer, sem qualquer problema pego nas malas e retorno ao meu país.

Previous Post Next Post

Também podes gostar de:

4 Comments

  • Reply Filipa Mendonca

    Identifico-me tanto! Eu estou fora de Portugal há quase 7 anos e não há uma semana em que não me perguntem se não quero voltar. A minha resposta é igual: nunca direi nunca, mas neste momento Portugal não responde às minhas necessidades. Este ano tive imensos problemas de saúde na família (e só vamos em Abril) e que me fez duvidar muito de ficar longe. Ao mesmo tempo, sei que não iria conseguir ajudar os meus se tivesse em Portugal porque provavelmente nem emprego teria.
    beijinho.*

    at
    • Reply Raquel Silva

      É quando a família precisa de nós que nos faz pensar se vale a pena estar longe, mas quando coloco na balança tudo prefiro viver aqui em França. Também não digo nunca, mas vai ser algo muito bem pensado. Voltar a Portugal acaba por ser um risco…e deixarmos de ter emprego novamente. Beijinhos***

      at
  • Reply Neuza Alexandra Pinto Coelho

    Acho que é preciso muita Coragem para ser emigrante e procurar ter uma vida melhor embora distante dos nossos.

    at
    • Reply Raquel Silva

      É mesmo preciso ter coragem, mas aprendi muito sobre a minha pessoa com esta “aventura”.

      at

    Deixa um comentário

    %d bloggers like this: